Tag Archives: java

Acessar a Internet pelo celular – navegadores

Post da série “Acessar a Internet pelo celular

web cellphone A Internet hoje é, para muitos, realidade, hobby, profissão. Ela está cada dia mais presente nas casas, na nossa vida, e ficamos dependentes dela, seja pelos contatos, redes sociais, lazer e entretenimento, serviços…
Essa dependência pelo acesso constante a rede mundial encontrou um novo meio para ser saciada, o celular.

A internet no celular tem recebido grande apelo pelas diversas frentes de avanço tecnológico dos aparelhos e redes de operadoras, hypes, ‘mini-navegadores’ e serviços próprios para essa mídia, e são estes os assuntos que tratarei em alguns posts.

Todo acesso a rede mundial de computadores precisa de uma interface amigável para uma boa usabilidade e navegação – um navegador. E assim como nos computadores desktops, os celulares também possuem seus navegadores para realizarem essa função.

Normalmente, todo celular já vem com um navegador para acessar a internet. Nos mais antigos, a tecnologia ainda não possibilitava imagens nem cores. Hoje já vemos vídeos, temos zoom e outras funcionalidades. Tirando alguns celulares mais sofisticados, como o iPhone, geralmente o navegador embarcado de fábrica é mais simplório e foi visando esse nicho de mercado que muitas empresas criaram seus navegadores para estes aparelhos.

Alguns programas de terceiros já são bem difundidos (a exemplo o Opera Mini), e são feitos em linguagens comuns aos vários modelos para serem compatíveis e atenderem as necessidades de seus usuários. Outros, como o Skyfire, são desenvolvidos especificamente para uma série mais reduzida de modelos, aproveitando melhor assim as características desses aparelhos.

p1i web mobile Estes programas também têm características de tentar minimizar o abismo entre o que é acessar a internet por um computador desktop e um celular, melhorando a usabilidade e experiência do usuário – além do tamanho de tela reduzido, a maioria dos celulares não possui um teclado que facilite a entrada de texto e um mouse para uma navegação rápida por toda página.

Os navegadores têm trazido funcionalidades de zoom e adequação do conteúdo para uma melhor apresentação ao usuário, tentando assim resolver o problema da tela pequena. Alguns tentam reduzir os códigos das páginas para tornar o carregamento mais rápido e mais barato. Mostrar a versão mobile de muitos sites ou a versão desktop também é uma opção dos navegadores que possibilitam o zoom para melhorar a visualização do site, mas essa é uma discussão da One Web.

Se você não quer sofrer e ter uma boa usabilidade ao acessar a Internet pelo seu celular, recomendo que teste o navegador próprio do seu celular e também programas de terceiros. Tudo pode influenciar, desde o seu próprio uso e conteúdo visitado até como ter touch screen ou acesso mais rápido com 3G ou WiFi.

Então, se o seu celular não é nenhum da última linha de produção com as maiores telas e milhares de funcionalidades, mas já possui Java por exemplo, pode ter um navegador melhor para acessar a Internet e ter uma boa experiência.
Veja os reviews de alguns navegadores no JMobi parte 1, parte 2 e parte 3 para escolher o melhor para você.

Saiba um pouco mais sobre mobile browsers.

Criação de mobile sites com uma boa arquitetura da informação

mobile site styles

Alguns fatores como telas maiores e acesso a rede WiFi, tornaram o acesso à Internet por dispositivos móveis bem mais comum nos dias de hoje e o número dos sites para esses dispositivos também têm aumentado. Mas acesso desktop e acesso mobile são bens diferentes e não podemos simplismente miniaturizar nossos sites.

Com o lançamento do iPhone e sua revolução na interface dos celulares, telas touch screen mais presentes, o avanço nas tecnologias dos mini-bowsers, melhores planos de dados pelas operadoras, redes WiFi mais presente e até mesmo a 3G começando no Brasil, a necessidade do acesso a Internet e sua vasta gama de serviços a qualquer momento e em qualquer lugar agora pode ser resolvido com seu companheiro 24hs, seu celular!
Mas você pensa: “Acessar com meu celular? Acessar meus blogs favoritos, meu e-mail e muito mais?? Ta louco… isso vai ser muito ruim (‘caso seu celular não seja tão novo e ainda tenha tela pequena’), demorado e caro!!!”
E é nessa hora, que quem desenvolve serviços e conteúdos na internet, tem que pensar em como disponibilizar isso para os celulares. Estudar seu caso, seu serviço, seu site e seu público já faz parte da criação de websites, mas muito também tem que ser analisado para versões acessíveis por outros dispositivos além dos browsers desktop.

Criação de interfaces
Você está criando seu website e tem que fazer uma versão mobile. É simples, não? só fazer um CSS diferente, com o conteúdo em uma coluna só e está pronto certo? Ao menos que seu site tenha poucos páragrafos de conteúdo e uma ou outra imagenzinha só, não é tão fácil não.
Imagine na dificuldade de leitura e navegação por celular em um site com um monte de conteúdo. Imagine nos gastos para baixar várias imagens e até mesmo vê-las tendo que navegar para o lado e para baixo se forem grandes.

No mercado existem vários modelos de celular com tamanhos diferenciados de telas, e, dependendo do seu conteúdo, você precisa adequá-lo conforme as restrições destes tamanhos.

mobile screens area and size

Muitas soluções existem para vários problemas relacionados a esse tema.

# Descobrindo as características do celular que está visitando seu site (vou abordar esse tema outro dia), você pode simplesmente apresentar seu site com uma coluna de conteúdo e sem imagens para celulares com telas pequenas ou posicionar melhor os elementos para telas maiores.
# Muitos celulares usam navegadores nativos, mas os mais modernos usam versões mais sofisticadas de mini-browsers do Opera, Safari e Internet Explorer. Geralmente esses mini-browsers tem sua própria renderização do conteúdo para adequar ao tamanho da tela, mas isso muitas vezes é apenas um zoom out ou uma minituarização do site. Pode também ser preciso descobrir esses casos para fornecer versões diferenciadas.
# Celulares geralmente tem problemas com cores e até imagens em background, assim como restrições totais ou parciais de tipos de conteúdo e Javascript, então sempre é recomendado aplicar estilos simples tomando cuidado com tonalidades de cores e usar o mínimo de Javasript ou mesmo descartá-lo.

Seu conteúdo e seu público
Você pode ter deste um pequeno site pessoal com algumas informações até um portal provedor de notícias e serviços, e cada caso tem seu conteúdo e seu público. Analisar quem você atinge e com o quê traz a necessidade de diferentes versões mobile de seu site.

Ao menos que acesse via WiFi ou tenha planos de dados, infelizmente acessar a internet pelo celular é caro e ainda lento. Sites para dispositivos móveis devem ser pequenos/leves, diretos e com boa navegação/usabilidade.
<< Sites com pouco conteúdo
Tente especificar/separar seu conteúdo e ter uma lista das opções para um acesso rápido e direto.
<< Sites de notícias, blogs
Minimize o tamanho das páginas com listas das categorias e dos itens do seu conteúdo. Apresente resumos pequenos antes de mostrar todo o texto.
<< Serviços
Selecione poucas (e simples) funcionalidades possíveis para o celular. Deixe de forma direta ações frequentes como por exemplo buscas ou filtragens.

Os usuários agem diferentes dependendo do ambiente ou contexto que estejam e seu site/serviço pode ser muito dependente disso para ter sucesso.
>> Visitante casual
Uma pessoa pode estar navegando em seu site para conhecê-lo ou obter informações a respeito, pode simplesmente estar passando. Se você não precisa prendê-lo ao site, dê a ele uma boa experiência e boas informações.
>> Visitante frequente
Caso tenha um blog ou um serviço de notícias por exemplo, você deve analisar o caso dos visitantes que sempre vão voltar, e para eles você tem que fornecer uma boa navegação e uma apresentação leve para não cansarem e deixar de acessar seu site.
>> Visitante apressado
Imagine uma pessoa que precise de uma definição de uma palavra, ou um telefone em 5 minutos. A versão mobile do seu site/serviço deve facilitar e agilizar o acesso ao o que o usuário precisa.

Pela limitação de recursos, para criar um site acessível por dispositivos móveis é preciso estudar o seu caso e ter uma boa noção de arquitetura de informação. Nunca pense que é simplesmente “minituarizar” seu site!

Apesar de ter ficado grande o texto, não me aprofundei muito no assunto. Tem muita coisa sobre esse tema ainda. Em breve escreverei mais sobre isso.
Adoraria ter um discussão construtiva sobre o assunto, então deixe o seu comentário.
Quem quiser saber mais também, eu tenho vários links bons sobre o assunto.

O ovo e a galinha no mundo mobile

O Eric, escreveu um post bem legal no blog do JMobi questionando sobre o que escolhemos primeiro ao comprar um celular: o aparelho ou a operadora.

(…) o aparelho é um forte objeto de desejo e utilidade, e a tendência é que a cada vez mais os aparelhos (e as marcas dos fabricantes) tenham uma força maior na cabeça do consumidor do que as operadoras.
Isso vai se agravar ainda mais na medida que formos tendo mais aparelhos com tecnologias como Wi-Fi, que não dependam totalmente da rede da operadora para comunicação e troca de dados (…)

Post completo

Em resposta ao post, no meu caso pessoal, eu prefiro escolher o aparelho celular ao invés da operadora.
Eu estou bem contente com meu plano da Brasil Telecom (pula-pula) apesar dos apesares, mas quem sabe daqui uns 3 anos eu mude. 😛

Acho que as operadoras deveriam seguir a linha que a Oi está seguindo de não vender celulares bloqueados e ganharem na prestação de serviços e não segurando seus clientes.
Por sinal, elas tem que melhorar esses serviços também…

E se estiver procurando por celulares, dê uma olhada nesse post.

MP3 playlist com Ivoon

O Ivoon é mais um novo serviço da Web 2.0.
Com ele você pode criar playlists de mp3’s que estão no portal, dar upload das suas músicas favoritas e criar um player para seu site, blog…

Achei muito bom mesmo!!
Antigamente eu usava o Pandora para escutar as minhas músicas e artistas favoritos, até que eles bloquearam o uso no Brasil e países que não tem leis sobre licensas e tudo mais…
Tentei usar o Last.fm mas não me familiarizei não, apesar de muitas pessoas o aconselharem.
Ultimamente escutava minhas músicas preferidas no meu box.net, mas estorou minha cota de 1GB e não consegui colocar mais músicas… 😐

Interface do site é bacana, fácil de usar… Algumas coisas ainda podem melhorar na interface da sua playlist como alterar a ordem das músicas, mas isso deve ir acontecendo com o tempo…
Vale realçar que o streaming do aúdio é muito bom!!

O esquema é o pessoal ir mandando músicas e melhorar o serviço cada vez mais!!

Vi no Go2Web2 e até conheci umas bandas novas 😀

mKut (aplicativo para acesso ao orkut pelo celular) saí no G1

Pessoal, essa sexta-feira (03/08) foi agitada.

No meio da tarde, um conhecido nos ligou na Praesto dizendo que estava vendo uma matéria no Globo News, canal da TV à cabo, que falava do nosso aplicativo mKut que faz acesso ao orkut pelo celular.
De início já ficamos muito contentes por essa veiculação inesperada do nosso aplicativo, mas isso aumentou quando fomos olhar na internet o que estava acontecendo.

Achamos a matéria sobre o mKut no G1 da Globo.com que descrevia e trazia informações do aplicativo. O artigo trazia também um link do baixatudo onde você pode baixar o aplicativo.
A matéria ficou muito boa e ficou por mais de 3 horas na capa do G1. 😀

O mais surpreendente foi ver no baixatudo, o crescimento do número de downloads do aplicativo e ele alcançar ótimas colocações nos Top 10 da semana e Top 10 do mês!! Bacana foi ver também que o pessoal gostou do aplicativo!!

Pra quem ainda não conhece o mKut, ele é um dos aplicativos para celulares do Portal JMobi que faz sua conexão com o Orkut para você ver seus scraps e respondê-los, ver os aniversários de seus amigos, fotos…. O aplicativo é feito em Java e pode ser baixado diretamente pelo seu celular do site wap http://wap.jmobi.com.br ou então da sua página no JMobi e depois transferido pelo celular via cabo, Bluetooth ou infra-vermelho.

mKut, o Orkut em qualquer lugar e a qualquer hora, no seu bolso!!

[update]
Pessoal tem perguntado sobre o custo:
Pegando um exemplo de fazer login e ver seus recados e responder dois, você gasta entre R$ 0,06 e R$ 0,15 dependendo da sua operadora.

Veja a tabela completa aqui.
[/update]

Google e o AdSense mobile

O Google está investindo mais na área mobile.

Saiu em versão Beta o Google Mobile Ads. Serviço do AdWords para conteúdos de celular.

Segundo o Google:

Mobile ads são pequenas propagandas de texto baseadas do AdWords que aparecem em mobile websites ou quando usuários usam a busca Google de um aparelho mobile. Quando os usuários clicam em uma propaganda mobile, elas podem ser enviadas para sua página mobile ou oferecer a opção de ligar para o seu telefone de negócio.

Descubra mais

O serviço ainda está em testes. Os anúncios são pequenos para não aumentar muito a transferência de dados, são simples (celulares não tem javascript, principal linguagem usada no AdWords tradicional)…

Putz, espero que isso não vire uma febre como o tradicional. Eu acho que além de deixar os websites poluídos e de difícil navegação, as vezes é até falta de educação com o usuário esse uso abusivo de serviços desse tipo. Nos wapsites isso vai ser pior ainda e deixar mais caro a navegação.

Fiquei pensando também, será que esse foco extra no mundo mobile tem alguma jogada por baixo dos panos ainda, e que tem relação com a compra da GrandCentral que noticiei??
Talvez isso ajude a Praesto, empresa que trabalho, mas disso eu explico depois… 😉

Será que o Google Mobile Ads vai funcionar?? Você agregaria o serviço ao seu “wapsite”?? Deixe seu comentário!!

Vi no Undergoogle, Inside Google, Self Made Minds e afins…

Faculdades, profissão, empregos… o que fazer?!

De uns tempos pra cá, eu tenho visto e pensado em muitas coisas relacionadas a carreira de trabalho, profissão, minhas áreas de conhecimentos e coisas afins, e isto me rendeu boas leituras e conversas.

Pessoal que me conhece e pra quem quer me conhecer, eu sou estudante de Ciências da Computação e atualmente trabalho em uma empresa que faz aplicativos pra celular e serviços web atuando nessas duas frentes. Tenho me identificado bastante com a área de web, não somente criação de páginas e tal, mas conceitos e formas de melhorá-la.

O meu ponto de vista atual é que, nessa área de TI, o que mais importa é o seu nível de conhecimento, seja ele amplo ou específico. Sendo amplo, melhor, mas tenha sempre algo específico; não vale nada você saber um pouco de tudo mas não ter prática para trabalhar com aquilo. Ok, e esse conhecimento, melhor vir de onde??

As fontes de conhecimentos hoje são inúmeras (apesar de muitas se concetrarem disponíveis na internet), mas temos os cursos práticos, cursos técnicos, escolas e faculdades de ensino superior, estágios e empresas juniores e até mesmo o auto-conhecimento. Elas vão fazer diferença dependendo de cada caso. Conheci exemplos de pessoas que tinham apenas curso técnico mas um ótimo conhecimento numa certa área, e com isso conseguiu entrar numa empresa e se dar muito bem, melhor mesmo até que pessoas com ensino superior. Muitas pessoas falam que no exterior, nada importa o nosso diploma e sim os conhecimentos mesmo que temos e mostramos.
Cada caso é um caso…

O Diego do Tableless escreveu um artigo bacana, Faculdade, cursos e conhecimento, que ele fala sobre especialização de pessoas na área de desenvolvimento para web. Gostei do exemplo que ele escreveu que surgiu de uma conversa dele:

” se o Google decide contratar um desenvolvedor web para a equipe do Orkut, por exemplo, um desenvolvedor que cursa algo relacionado à Ciência Sociais seria um destaque.
E ele tem razão. Um profissional que consiga consiliar suas especialidades técnicas de desenvolvimento web com seu conhecimento em Ciências Sociais, seria muito valioso para o trabalho com comunidades, comportamento de massas e tudo que uma rede social como o Orkut representa… Ele teria uma mente aberta para novas idéias e saberia quais caminhos tomar para implementá-las.
Outro exemplo básico: qual curso o desenvolvedor que trabalha diretamente com AI (Arquitetura de Informação) poderia fazer? Biblioteconomia seria interessantíssimo. Diretamente o curso não tem nada a ver com tecnologia e nem precisa ter. O cara adaptaria o conhecimento que ele aprenderia em Blibioteconomia para a área de web.”

Na verdade não sei se chega a tanto como o exemplo: a pessoa cursar uma coisa totalmente diferente e trabalhar em TI; mas ter conhecimentos amplos faz bem.

A verdade é que hoje ainda acontece muito a relevância sim do seu passado acadêmico, mas, as novas empresas que estão surgindo, estão considerando é o que você sabe, o quanto de coisas novas você pode aprender, a sua vontade para o tal, e como será o seu aprendizado (o “aprender a aprender”).

Pessoalmente não desconsidero quem não tem um ensino superior, porque hoje, quase tudo se aprende fora da faculdade e/ou por si próprio, mas também acho que a faculdade te traz um bom senso crítico e que te ensina a se virar na vida.

Como havia dito, cada caso é um caso. Sua área pode não necessitar de um ensino superior para você se sair um grande profissional. Mas não é por isso que você deva deixar de lado as faculdades e universidades. Lembre-se, aprender nunca é demais!

Não esqueça de deixar seu comentário!